BLOG - MAURICIO MARTINS

quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Último dia do ano...

O calendário é cruel com a gente...ou melhor, depende do ponto de vista! Hoje é dia de fazer o balanço de 2008 e pensar como melhorar em 2009...apenas 1 dia, 24 horas, 1440 minutos separam um ano do outro.

Dia de refletir, de dar uma "parada técnica"...

2008 chega ao fim....e 2009 vem aí!

2008 será sempre lembrado como o ano da mais grave crise financeira desde a Grande Depressão de 1929.

Um ano com acontecimentos sem precedentes no campo da economia, pelo menos considerando as últimas décadas. 2008 começou muito bem e termina de uma forma totalmente diferente. Resta a expectativa para 2009.

O fato é que ficamos diante de fatos não previstos com exatidão por quase nenhum economista, mesmo os mais experientes. O mundo experimentou uma reviravolta na economia, que colocou boa parte dos países em recessão (recessão é quando um país não cresce, ou seja, não aumenta a quantidade de riqueza produzida, por um período consecutivo de tempo). Se olharmos as previsões feitas no fim de 2007, praticamente nenhuma conseguiu traçar o real cenário que se desenhou nos últimos meses. Também não vamos exagerar e dizer que o inesperado aconteceu, mas talvez estejamos mais vulneráveis a crises do que podemos imaginar. Ou melhor, não há previsão que seja capaz de antever com exatidão os rumos da economia e permitir atitudes a priori, que poderiam amenizar os efeitos de uma crise econômica.

Sem pessimismo e sem futurologia, o fato é que não dá para falar muito sobre o que nos aguarda em 2009. Isso não muda, claro, a esperança de que seja um ano de "arrumar a casa" e recolocar a economia mundial nos trilhos. Paga-se hoje o preço pelo crédito fácil e pelo consumo desenfreado de pessoas sem condições de arcar com esses gastos. Essa é a origem do crédito subprime nos Estados Unidos, e que foi um dos reflexos da forma como o sistema financeiro internacional foi se colocando, exposto a riscos. Um crédito oferecido àqueles que não tinham um histórico creditício razoável, e que, em momento de dificuldades e de subida de juros, não conseguiram pagar o que deviam. E aí o resultado foram prejuízos para os bancos e uma reação em cadeia no sistema financeiro internacional. Que é mais globalizado e interdependente do que podemos imaginar.  E esse preço a pagar, esperam alguns, será em 2009. Para que em 2010 tudo melhore e volte a ser (quase) como antes. O fato é que, na verdade, ainda vai demorar muito para o mundo se recuperar dessa crise. E, dizem alguns, nada será como antigamente. Os bancos serão mais criteriosos para conceder empréstimos e o custo e disponibilidade do dinheiro para emprestar será bem diferente. 

É aguardar para ver. 2009 está aí, a poucas horas de nós.

Eu falo um pouco mais sobre o assunto no boletim em áudio que disponibilizo aqui no blog. É um balanço de 2008, meio que uma reflexão sobre este ano, no campo da economia. E uma breve expectativa para 2009. Espero que gostem.




Por hora, ratifico o meu desejo de um FELIZ 2009 para todos. Que seja um ano de muita paz, amor, harmonia, dinheiro (também é importante!) e muita, muita prosperidade para todos nós.