BLOG - MAURICIO MARTINS

quarta-feira, 11 de julho de 2007

A justiça no Brasil é cega?

A discussão acerca do papel e da eficácia da justiça na sociedade brasileira está sempre presente nos meios de comunicação, em especial quando são noticiados crimes de grande comoção social. O caso do cruel assassinato do menino João Hélio Fernandes, em fevereiro no Rio de Janeiro, é um exemplo de como fatos pontuais provocam discussões que deveriam ser amplas e sóbrias, mas acabam até certo ponto valendo-se de argumentos movidos pela emoção dos acontecimentos. Nestes momentos, a sociedade se pergunta se há de fato justiça na justiça brasileira.

Em meio a milhares de inquéritos que viram processos em julgamentos em primeira, segunda e terceira instâncias, habeas corpus, petições, mandatos de segurança, liminares, a justiça de nosso país parece caminhar a passos curtos dada a latente ineficiência em julgar os casos. Mas talvez este não seja o maior dos problemas do nosso sistema judiciário. A questão é que muitos casos acabam tendo um julgamento impune aos olhos da sociedade, o que provoca uma certa revolta nos olhos dos ditos “cidadãos de bem”. O sentimento é que a justiça tida como cega não soube ser justa e cegou o desejo da sociedade de ver certos criminosos punidos com o mesmo rigor dos crimes cometidos.

A verdade é que, dada a desigualdade social do país em que vivemos, é difícil dizer que a justiça é igual para todos. Aliás, como falar em justiça se nem a própria justiça social nós conseguimos fazer? Cabe como exemplo os privilégios concedidos pelo judiciário àqueles que dispõem de bons advogados e, deste modo, conseguem resultados mais favoráveis para si. É verdade que tais concessões como “habeas corpus” ou liminares em favor de alguns ricos réus são concedidas nos termos da lei, mas são possíveis graças à competência e influência de renomados advogados, aos quais os réus pobres não têm acesso.

Que a justiça precisa ser mais eficaz, ninguém praticamente discorda. Mas é preciso ampliar a todos o acesso a ela de modo igualitário. Porém, isto deve ser acompanhado de uma maior justiça em todos os setores da sociedade, que está cega de seus direitos. Nada que não possa ser resolvido com um pouco de luz, a luz da lei e da verdadeira justiça que é cega somente para julgar de modo igualitário e com iguais direitos todos os cidadãos.


(Por: Maurício Martins)

8 Comentários:

  • CHOMPERA!


    - Precisa de comentários? -



    Passei aqui!!!


    Seu 1ºJornal online!!!
    Gostei... Excelente início...
    Sucesso...

    Beijos...

    Por Anonymous Anônimo, Às terça-feira, 17 de julho de 2007 23:33:00 BRT  

  • Passando somente para deixar registrada minha "presença" em seu blog, por sinal muito boa tese feita por você. Utilizei sua postagem para maiores informações, no qual me ajudou muito a realização de um trabalho universitário.

    Deixo meus elogios ao senhor, Fabine Gomes.

    Por Anonymous Anônimo, Às domingo, 21 de setembro de 2008 20:30:00 BRT  

  • Meus parabéns pelo otimo trabalho...Vc pode ter contribuido para a minha aprovação no concurso da policia civil da Paraiba..depois te falo se vc me ajudou realmente..rsrs.
    um grande abraço,
    PARABÉNS

    Por Anonymous Anônimo, Às quarta-feira, 26 de novembro de 2008 23:49:00 BRST  

  • Quando se fala que a Justiça é lenta devido a inúmeros recursos e pela quantidade de processos, é verdade.
    Mas, vale ressaltar, não vamos fechar os olhos, podemos mudar as leis, aumentar o número de servidores da justiça, incluindo juizes. Criar mais varas para que o juiz possa sentenciar em menos processos com mais qualidade.
    O mais importante também é mudar a mentalidade do juiz, a maioria não quer mais sentenciar, criar teses, e sim, delegar aos estagiários e funcionários.
    O juiz precisa assumir a responsabilidade do cargo, pois o salário é bom. è vergonhoso saber que o senhor meretíssimo mal, mal, é um mero assinante.
    mauro

    Por Anonymous Anônimo, Às segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009 19:44:00 BRT  

  • "É, nada mais real que a pobreza de justiça ao infeliz (humilde) povo brasileiro.
    O mal maior que grassa em todas as situações de mal a nosso povo, principalmente na politica é por não termos uma justa/justiça, tribunais e legisladores independentes e sérios!".

    Por Anonymous DocaMoreno, Às quinta-feira, 12 de março de 2009 11:30:00 BRT  

  • Tava precisando para fazer uma redação sobre a Justiça no Brasil e suas idéias me agradaram muito! Parabens!

    Por Anonymous Anônimo, Às quarta-feira, 19 de agosto de 2009 20:31:00 BRT  

  • Não sei qual motivação que no Brasil os processos judiciais, mesmo estando com farta documentação, que muitas vezes mostra claramente a intenção da parte autora de estorquir dinheiro sob a chancela de "indenização de danos morais", a parte oponente que eu chamaria de vítima de calúnia é obrigada a ouvir na audiência se as testemunhas que irão depor contra uma das partes tem algo contra aquela parte. Pergunta ridícula já que estão ali, muitas vezes bem pagas, para macular a imagem da parte contra a qual deporão. Pior que isso são as testemunhas terem no processo peso maior que provas documentais. Toda vez que a justiça brasileira dá ganho de causa a pessoas que querem extorquir via indenização de danos morais, está alimentando o crime organizado e aí pergunto: a quem interessa esta "justiça"? Nick Anderson sou de Floripa/SC

    Por Anonymous Anônimo, Às sábado, 13 de fevereiro de 2010 17:48:00 BRST  

  • A justiça no Brasil se caracteriza por duas particularidades:

    1.- É cega... mas sente o aroma de perfumes caros.

    2.- É muito parecida com leilão.

    Por Blogger Josaurelio Medina (Pepe), Às domingo, 15 de julho de 2012 16:45:00 BRT  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]



Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial